Personalidade: Os introvertidos vs extrovertidos

O que são introvertidos, ou seja, como se define uma personalidade introvertida?

A introversão é uma dimensão da personalidade que se manifesta por um comportamento mais reservado, solitário e centrado no próprio pensamento e reflexões. Têm uma preferência ou tendência natural por actividades que podem fazer sozinhos, como escrever, ler, usar conhecimentos informáticos, refletir ou caminhar. Assim, é interessado no seu mundo interior, no seu próprio pensamento e percepções, enquanto que o extrovertido dirige a sua atenção para o mundo exterior, para as outras pessoas ou para outros fatores externos.

Não pretende o isolamento total!

O introvertido não quer ficar sempre sozinho, pois naturalmente gosta de estar com outras pessoas, mas com menos frequência do que alguém extrovertido. O introvertido sente cansaço ou mesmo exaustão em ambientes muito estimulantes, preferindo ambientes calmos ou tranquilos, com algumas pessoas. Por outro lado, há um continuum entre introversão e extroversão, porque muitas pessoas podem sentir ambas as características com intensidades diferentes para diversas situações.

Esta característica tem início na infância ou pode só surgir na idade adulta?

Existe uma predisposição inata na personalidade, que poderá ser reforçada (ou não ) e moldada pelo meio ambiente e por todas as pessoas e experiências de vida que vai ter. Poderá manifestar-se desde a infância, até que por volta dos 18 anos as características da personalidade tendem a ser mais estáveis.


O que determina esta característica da personalidade? É algo inato, genético?

Existe uma certa predisposição genética, que define uma base neurológica para as características da personalidade. Todavia, esta predisposição ou tendência é moldada pelas experiências de vida, pelas pessoas com quem interagimos e pelas interpretações que fazemos das situações, pelo que aquilo que somos resulta de uma interação dinâmica de múltiplos factores.


Como se explica a nível cerebral?

Parecem existir algumas diferenças no cérebro; os introvertidos têm uma menor ativação dos circuitos de recompensa no cérebro do que os extrovertidos e uma maior sensibilidade a estímulos aversivos, o que explica serem menos interessados pelo mundo exterior e aprenderem melhor as regras sociais. O extrovertido têm o circuito de recompensas mais ativado, por isso procura mais sensações a partir do mundo exterior. O introvertido têm a área do cérebro ligada ao planeamento e pensamento abstrato mais desenvolvidas, o que explica a sua maior reflexividade; o extrovertido têm a área do planeamento menos desenvolvida, explicando o seu comportamento mais impulsivo e mais emocional.


Quais as principais características dos introvertidos e como saber se alguém é introvertido?

– Poderá ser visto como alguém reservado ou tímido, ou que fala pouco dele próprio, mas o introvertido apenas prefere falar o necessário e com cuidado, com algumas pessoas que confia , em vez de se expressar com alarido para muitos conhecidos.

– Sentir cansaço ou aborrecimento perto de muitas pessoas e não sentir prazer ou satisfação em eventos sociais, preferindo a companhia de amigos íntimos num ambiente calmo.

– Gosta de actividades solitárias, estando ocupado com hobbies e interesses, como ler ou passear, mas também obtém prazer com pessoas familiares.

Aprecia um grupo chegado

– Prefere ter um pequeno grupo de pessoas próximas e íntimas, com o qual tem uma relação profunda, em vez de socializar frequentemente com muitas pessoas ou ter muitos conhecidos com relações superficiais.

– O introvertido poderá usar roupas mais discretas e confortáveis, que não chamam a atenção.

– Se estiver num ambiente com muitos estímulos, como uma festa agitada, poderá sentir-se desfocado e sobrecarregado, pois vão gastar muita energia a processar a informação que está a receber.

– Como o introvertido está mais virado para o seu mundo interior, também é mais auto- consciente das suas perceções e sentimentos, pois gosta de examinar e pensar sobre si próprio, e também de explorar passatempos que vão ao encontro dos seus interesses.


Há ainda alguma confusão entre introvertidos e tímidos. Quais as diferenças?

A introversão e timidez são características diferentes. Na timidez existe vergonha ou ansiedade diante a experiência social, por medo de parecer ridículo ou ser rejeitado, bem como uma necessidade e vontade de se expressar e integrar socialmente; na introversão existe inatamente uma tendência pelo mundo interior, pelo que não procuram muitas interações sociais, podendo ser (ou não) tímidos.

E quais as principais diferenças entre introvertidos e extrovertidos?

A diferença maior é que o extrovertido gosta de estar no meio das pessoas, expressando-se frequentemente e procura ambientes estimulantes e enérgicos; o introvertido procura mais um ambiente calmo onde pode estar ocupado com os seus interesses e pensamentos, tendo um interesse menor em socializar.

Os introvertidos precisam de mais tempo e espaço sozinhos do que os extrovertidos ; este precisam de estar com pessoas para sentir energia e satisfação.

Os introvertidos refletem muito sobre si próprios e sobre o sentido das coisas, de forma solitária; o extrovertido gosta de expressar em voz alta a sua opinião logo que possível, para os outros.

Outras Características

Os introvertidos gostam de ser ponderados e pensativos, pelo que podem ser ouvintes atentos e dedicados, o extrovertido não precisa de muita informação ou ponderação, basta o suficiente para decidir.

O introvertido não gosta de ser mostrar ou ser o centro das atenções, os extrovertidos gostam de falar com muitas pessoas , preferindo estar num local onde vão ser observados.

Todavia existem muitas características comuns entre introvertidos e extrovertidos  e um continuum entre estas dimensões, portanto, não são pessoas muito diferentes. Ambas são variações normais do comportamento humano.


Um introvertido pode transformar-se num extrovertido?

Poderá desenvolver algumas potencialidades ou treinar novos comportamentos; existe flexibilidade naquilo que poderemos ser ou mudar.

Existe uma estimativa de qual a percentagem de introvertidos vs. extrovertidos no mundo?

Alguns estudos sugerem que há mais extrovertidos (50 a 70%) do que introvertidos (16% a 50% de pessoas no mundo)

Há vantagens em ser introvertido? E desvantagens?

Sim, há vantagens.Por exemplo, são mais independentes e respeitadores do espaço dos outros, pelo que é difícil que alguém se queixe dum introvertido por ser perturbador. Podem ser mais cuidadosos e conscientes na relação com os outros.Os introvertidos podem ser mais criativos e originais porque não estão tão ligados às normas do grupo ou às crenças sociais da moda; o extrovertido pode ser mais popular porque é mais aderente da norma.


É verdade que os introvertidos recarregam as energias através do tempo que passam sozinhos, a ler ou a ouvir música, enquanto os extrovertidos ganham energia a socializar com outras pessoas? Porquê?

Cada pessoa tem formas diferentes de obter prazer e satisfação e portanto vão existir diferenças para cada um, na forma de ocupar o tempo de lazer e nos hobbies e passatempos. Para alguém introvertido , ler ou escrever poderá ser relaxante e ganhar energia, enquanto que para um extrovertido isto seria fastidioso e irritante; se um extrovertido relaxar num ambiente com muitas pessoas e cheio de estímulos, ele irá ganhar energia pois sente emoções positivas numa situação que gosta e por isso, “ganha” energia. Pelo contrario, neste ambiente o introvertido poderia sentir-se aborrecido , criando emoções negativas .


É possível um relacionamento amoroso saudável entre um introvertido e um extrovertido? Pode dar pistas que possam ajudar?

Num relacionamento é necessário um ajustamento ou adaptação às características da outra pessoa ; por outro lado se as pessoas são muito diferentes poderá tornar a relação muito difícil ou ter poucas hipóteses de funcionar; características mais próximas aumentam o sucesso da relação.

Algumas ideias para a relação

– Valorizem as diferenças e no que podem aprender com isto: há experiências de cada um que podem ser fascinantes para a outra pessoa. A capacidade de instrospecção do introvertido pode completar a extroversão do outro parceiro. As pessoas que o extrovertido conhece podem ser interessantes para o introvertido. Podem criar um acordo sobre a forma como passam o tempo, dividindo de forma democrática as preferências de cada um (um fim de semana mais social; o outro em casa com os passatempos mais solitários). Definam os limites daquilo que gostam e não gostam na relação e procurem conhecer e esclarecere as deixas emocionais que cada um pode provocar: o extrovertido pode interpretar o silencio do introvertido como rejeição, mas na realidade é o modo de ser, ele não está aborrecido.


A nível empresarial, quais as vantagens em trabalhar com introvertidos?

Os introvertidos podem pensar com mais cuidado e de forma mais rigorosa, em vez de falarem alto, e emitir a sua opinião de forma mais ponderada, o que ajuda a um ambiente de trabalho mais calmo.- O introvertido pode ser melhor colaborador pois está mais focado nas suas reflexões, e focado , em vez de estar distraído com estímulos externos do meio ambiente. Por isso, está sossegado e faz o seu trabalho.- O introvertido está mais interessado no auto- conhecimento , pelo que procura melhorar e aprender sobre ele próprio, e aplicar esta atitude no próprio trabalho, procurando desenvolver soluções melhores.- O introvertido fala quando é necessário ou relevante, o que torna o ambiente de trabalho menos confuso, em vez de alguém muito extrovertido que aumenta o ruído com conversas pouco estimulantes.Mas precisamos de ter pessoas no trabalho, com ambas as características , pois elas complementam-se.


Como a sociedade vê os introvertidos? Ainda há estigma à volta das pessoas introvertidas, face às extrovertidas, que habitualmente são vistas como mais divertidas e simpáticas?

Penso que a sociedade valoriza ou favorece pessoas mais extrovertidas: estas são vistas como pessoas mais confiantes ou felizes em participar em conversas, pois numa sociedade tão mediatica , o ser afirmativo e expressivo é valorizado por muitas pessoas, como se falar alto em público significasse ser mais inteligente ou bem sucedido. Mas não existe relação entre ser extrovertido e ter melhores ideias ou ser mais bem sucedido. Acredito que precisamos de ultrapassar um certo preconceito em relação à introversão, pois é uma qualidade tão válida ou normal como outras.


Mitos sobre introvertidos


MITO: Os introvertidos odeiam pessoas
. É falso porque os introvertidos gostam de pessoas, mas preferem um grupo de amigos íntimos e próximos, em vez de eventos sociais; não precisam de estar sempre com os outros; obtêm mais prazer com uma atividade solitária, mas não excluem os outros.

MITO: Os introvertidos são antissociais. Falso porque o introvertido não está contra as pessoas; não existe qualquer transtorno na introversão; a sua tendência para atividades a só é vista erradamente como antissocial, mas estará disponível para as pessoas quando necessário.


MITO: Os introvertidos são antipáticos, mal educados
.É falso porque podem não ser tão expressivos ou exteriorizar tanto as emoções como um extrovertido, sem ser “antipáticos”, mas vão comunicar o necessário.


MITO: Os introvertidos invejam os extrovertidos porque querem ser como eles.
É falso porque a introversão é um estado natural, expontanêo, é a maneira de ser automática, portanto não há necessidade de serem outra coisa.


MITO: Os introvertidos estão sempre tristes. Não existe relação entre o estado de humor com a extroversão. O introvertido poderá ter mais prazer com atividades que faz sozinho, e isto não ser tão visível porque é algo mais interior, em vez do extrovertido que poderá expressar a sua satisfação com mais pessoas em voz alta.

MITO: A introversão pode ser “tratada”
. Introversão é um traço normal, um introvertido obtém satisfação à sua maneira. Constudo, a maior parte das pessoas terá traços intro e extrovertidos, portanto não há doença para ser tratada.

Vantagens em ser introvertido:

Na família: podem dedicar mais tempo e energia para a família e isto ajuda à coesão familiar, desenvolvem relações familiares mais profundas e com maior significado.
– No círculo de amigos: Fazem bons amigos porque se dedicam mais a uma relação próxima e são bons ouvintes.
– No trabalho: Boa capacidade analítica porque ficam mais tempo a ponderar e a analisar situações e pessoas;

Marque já a sua consulta aqui!