Dicionário de conceitos psicológicos

Dicionário de termos usados em Psicologia

Muitas vezes irá ouvir ou ler conceitos da ciência psicológica que lhe vão parecer estranhos, mas aqui poderá ler a explicação de várias ideias, frequentemente usadas na Psicologia:

Afecto- diz respeito aos sentimentos, emoções, valores e motivações ligados a ideias, pessoas ou objectos.

Cognição- Conceito que inclui todas as formas de conhecimento, como a compreensão e o raciocínio.

Culpabilidade- Sentimento doloroso de ter cometido uma falta, ligado a estados depressivos e de auto-acusação. É independente de uma real justificação (o sujeito pode nunca ter cometido a falta ou ela não justificar tal sentimento). A culpabilidade acarreta, muita vezes, o desejo de castigo e pode levar à delinquência, fracasso e suicídio.

Extroversão- Indivíduo que exprime facilmente os seus sentimentos, gosta de comunicar e está atento aos outros.

Desânimo aprendido (Learned helplessness) é um comportamento que ocorre quando o sujeito suporta estímulos repetidamente dolorosos ou de outro modo aversivos dos quais é incapaz de escapar ou evitar. Após essas experiências, o organismo muitas vezes não consegue aprender ou aceitar “fuga” ou “evitação” em novas situações em que tal comportamento é provável que seja eficaz. Em outras palavras, o organismo aprendeu que é indefeso. Nas situações em que há presença de estímulos aversivos, aceitou-se que perdeu o controle e, portanto, desiste de tentar, mesmo quando as circunstâncias mutáveis ​​oferecem um método de alívio dos referidos estímulos. Tal organismo é dito ter adquirido o desamparo aprendido. A teoria do desânimo aprendido é a perspectiva de que a depressão clínica e doenças mentais podem resultar da tal ausência real ou percebida de controle sobre o resultado de uma situação.

Dislexia- Perturbação grave no domínio da leitura que consiste na troca de letras e de sílabas, supressão de sons, mutilação das frases e das palavras e inversão de números.

Empoderamento (Empowerment) : O termo empoderamento refere-se a medidas destinadas a aumentar o grau de autonomia e autodeterminação nas pessoas e nas comunidades, a fim de capacitá-las a representar os seus interesses de maneira responsável e autodeterminada, agindo sob sua própria autoridade. É o processo de se tornar mais forte e confiante, especialmente no controle da vida e na reivindicação dos direitos. O empoderamento como ação refere-se tanto ao processo de autocapacitação quanto ao apoio profissional das pessoas, o que lhes permite superar seu sentimento de impotência e falta de influência e reconhecer e usar seus recursos. 

Enurese- Perturbação frequente que se caracteriza por uma emissão involuntária de urina.

Esquizofrenia- Designação de um grande grupo de psicoses caracterizadas por alterações graves no pensamento, nas emoções e no comportamento. O termo significa “mente dividida”, dissociada, porque nesta doença os pensamentos e sentimentos não se relacionam entre si de uma forma lógica e harmoniosa. É uma doença incapacitante de evolução prolongada, com uma prevalência média de 1%. Inicia-se, geralmente, entre os 15 e os 25 anos.

Esquizóide (Personalidade)- Dificuldades de relacionamento com os outros e de bom desempenho nas actividades sociais. As pessoas com traços esquizóides de personalidade são usualmente descritas como solitárias, esquisitas e têm poucos amigos ou até nenhum. São pouco simpáticas e nutrem pouco afecto e respeito pelos outros, podendo ser inconstantes e desinteressadas nas actividades do dia-a-dia.

Extroversão- Significa “voltado para o exterior”. O extrovertido exprime facilmente os seus sentimentos, gosta de comunicar e está atento aos outros.

Fobia- Medo persistente e irracional de uma dado objecto ou situação e que motiva um comportamento de evitamento perante os mesmos. As fobias simples podem envolver medo de certos animais (cobras, aranhas, ratos, etc) ou de certas situações específicas (espaços fechados, alturas, andar de avião). A fobia social é o medo de enfrentar situações sociais e de se expor ao exame e à crítica dos outros.

Frustração- Estado emocional desagradável que advém do facto de não se conseguir o que se deseja, e sobre o qual, se tinham expectativas positivas. As reacções são diversas, embora a agressividade seja a mais frequente.

Imagem Corporal- É representação afectiva que se faz do próprio corpo. Esta representação está relacionada com afectos gerais de auto- confiança e com a auto- estima (alta ou baixa) que cada um tem. Esta imagem é marcada por factores emocionais (a forma como os outros nos representam) e factores sócio- culturais como a moda e os padrões de beleza.

Introversão- Tendência a desinteressar-se pelos outros e pelo  mundo, centrando a atenção em si próprio.

Motivação é a razão para as ações , disposição e objetivos das pessoas . A motivação é derivada da palavra motive na língua inglesa que é definida como uma necessidade que requer satisfação. Essas necessidades também podem ser desejos  que são adquiridos através da influência da cultura, sociedade, estilo de vida, etc. ou geralmente inatos. A motivação é a direção de alguém para o comportamento , ou o que faz com que uma pessoa deseje repetir um comportamento, um conjunto de forças que age por trás dos motivos. A motivação de um indivíduo pode ser inspirada por outros ou eventos (motivação extrínseca) ou pode vir de dentro do indivíduo (motivação intrínseca).  A motivação tem sido considerada como uma das razões mais importantes que inspiram uma pessoa a avançar na vida.  A motivação resulta da interação de fatores conscientes e inconscientes . Dominar a motivação para permitir a prática sustentada e deliberada é fundamental para os altos níveis de realização, por exemplo, no mundo do desporto, medicina ou música.

Neurose- É o nome dado a um conjunto de distúrbios psicológicos em que, por muito graves que sejam os sintomas, os doentes permanecem dentro da realidade e têm consciência mórbida mantida.

Obsessiva (Personalidade)- Perturbação caracterizada pelo excessivo apego ao método, ordem e limpeza. Domina a necessidade de pontualidade e credibilidade.

Personalidade é definida como o conjunto característico de comportamentos , cognições e padrões emocionais que evoluem a partir de fatores biológicos e ambientais.  Embora não haja uma definição geral de personalidade, a maioria das teorias concentra-se na motivação e nas interações psicológicas com o ambiente. Teorias de personalidade baseadas em traços , como aquelas definidas por Raymond Cattell, definem personalidade como os traços que predizem o comportamento de uma pessoa. Por outro lado, abordagens mais comportamentais definem personalidade através da aprendizagem e hábitos. No entanto, a maioria das teorias considera a personalidade relativamente estável.

A psicologia da personalidade tenta explicar as tendências subjacentes às diferenças de comportamento. Muitas abordagens foram adotadas para estudar a personalidade, incluindo as teorias biológicas, cognitivas, de aprendizagem e baseadas em traços, bem como abordagens psicodinâmicas e humanísticas. A psicologia da personalidade é dividida entre os primeiros teóricos, com algumas teorias influentes sendo postuladas por Sigmund Freud , Alfred Adler , Gordon Allport , Hans Eysenck , Abraham Maslow e Carl Rogers .

Personalidade (Distúrbio de Evitamento da) – Hipersensibilidade a eventuais situações de rejeição, humilhação ou vergonha, cujo temor afecta toda a vida. Estas pessoas interpretam a atitude mais inocente como uma agressão e não fazem amigos com facilidade. A sua auto – estima é muito reduzida, desvalorizando sistematicamente aquilo que realizam de bom, podendo apresentar formas mais ou menos graves de fobia social.

Paranóide (Personalidade)– Perturbação caracterizada pela desconfiança e suspeição contínua que se reflecte na tendência a interpretar as acções dos outros como intencionalmente hostis e agressivas.

Psicose– Distúrbio mental grave em que o indivíduo perde o contacto com a realidade, quer da vida interior, quer do ambiente exterior do doente. Os sintomas mais característicos são as alterações do pensamento e da percepção: ideias delirantes, perda do controle do pensamento , alterações da capacidade de raciocínio e julgamento, ilusões e alucinações.