Como ser feliz- Janeiro 2021

Psicologia Positiva

O que é a Felicidade?

Para a Psicologia, a felicidade é um conceito vasto e subjetivo, para o qual existem várias teorias, mas em geral pode ser definida como um estado geral de contentamento, envolvimento e de satisfação com a vida. É uma sensação de bem estar subjetivo pois há uma avaliação positiva das várias facetas da vida, acompanhada por uma sensação de prazer e de um estado emocional positivo, uma lembrança e aceitação do passado. A felicidade é um estado dinâmico, não é uma característica fixa, que depende do desenvolvimento de forças e virtudes individuais (como a sabedoria, coragem e humanidade)., através de experiências com significado.

Será fácil de a alcançar?

Pode ser difícil de alcançar se tiver altas expetativas e exigências. Ela resulta da procura e realização dum propósito de vida, de viver experiências com significado, superar desafios e crescer com a experiência de vida. Ela resulta das actividades que fazemos na vida e de um certo equilíbrio entre as nossas expectativas e realizações.

Mas também pode ser fácil, se aceitarmos e vivermos no presente como ele é, ao mesmo tempo que procuramos caminhar para um certo propósito, com expetativas realistas. Não tem a ver com alcançar grandes feitos: se sentir felicidade num trabalho de voluntariado, ao ponto de se esquecer do tempo e o fizer sentir-se gratificado e feliz, é porque é uma atividade com significado.

Mas também pode ser simples: desde que as nossas necessidades básicas estejam satisfeitas e tenhamos algumas relações pessoais satisfatórias, basta encontrar alegria no que já temos. Mas se criarmos uma montanha de expetativas e exigências a alcançar, dificilmente iremos ser felizes, porque estaremos a adiar esse contentamento para um futuro incerto e não se está a viver no presente. Mas se estiver aceitante de que está a fazer o possível com os constrangimentos da vida normal, será muito mais fácil.

 A felicidade é um estado mais estável e duradouro que uma emoção mais rápida como o prazer, porque é um sentimento mais abrangente de propósito de contribuir para algo, além de nós próprios. Há pessoas que se dedicam a causas, organizações, pessoas, escrevem livros ou fazem cursos. Também não é fugaz porque é uma sensação de prazer e contentamento suave (e não um alegria intensa).

O que se pode fazer para ser feliz?

Não acredito em fórmulas para a felicidade, porque uns sapatos que servem para uma pessoa podem não servir para outras. Mas alguns comportamentos tendem a ser mais comuns em pessoas felizes:

– Desenvolver e manter boas relações de amizade e sociais , com familiares, parceiros (a), namorado (a), amigos, vizinhos, etc

– Experienciar atividades gratificantes no presente, nas quais sinta prazer e façam sentir que o dia foi bom (podem ser coisas muito simples, mas com significado)

– Ter hobbies, atividades de lazer: descubra as formas de ocupar os tempos livres que lhe tragam satisfação e as opções são ilimitadas, desde ter um animal, ouvir música a praticar jardinagem.

– Fazer atividade física: ao mesmo tempo que melhora a saúde, permite relaxar, pois o corpo produz endorfinas. Se forem atividades nas quais tem contato com outras pessoas, mais benéfico será, pois também poderá sentir uma alegria partilhada.

– Manter uma atitude otimista perante a vida, evitando a ruminação e o pensamento enviesado ou remoer o passado, como prestar atenção a acontecimentos antigos e ignorar o que há de bom no presente.

– Aceitar que vivemos de forma imperfeita com soluções imperfeitas- isto ajuda a reduzir a pressão e a ansiedade, pois se formos aceitantes das nossas vulnerabilidades fazemos as coisas mais relaxadamente e de forma ainda melhor! Se for falar em público e procurar ser imperfeito, vai relaxar muito mais se for com medo de cometer falhas. Se já está pacífico com isso, o desempenho até será melhor.

– Viver de acordo com os valores pessoais

– Manter uma boa saúde

– Manter a autoestima e auto-aceitação: manter um diálogo interno positivo

– Compreender e descobrir as suas forças e virtudes e dedicar-se a elas. As forças são capacidades ou potencialidades que o fazem sentir-se bem, sentindo-se recompensado, enriquecido interiormente, quando são praticadas.

Por exemplo, se tem curiosidade em aprender será feliz em fazer cursos e visitar museus;

Poderá descobrir as suas forças de caracter respondendo ao questionário em

https://www.viacharacter.org/

– Manter um sentido de propósito na vida.

As armadilhas da felicidade

Por outro lado, há várias atitudes e comportamentos que podem contribuir para a infelicidade:

Não ter amizades e relações próximas: a falta de conexão social e solidão é um dos factores mais importantes de infelicidade.

Gastar dinheiro em bens materiais desnecessários: o consumo excessivo produz uma satisfação muito curta, que desaparece logo a seguir à compra. Depois pode vir a culpa e ressentimento por uma compra desnecessária.

Falta de controle na vida: ter a vida demasiado determinada por fatores que não controla (ou que sente que não pode controlar): deve definir um certo tempo para si e para o seu -estar, em vez de aceitar todos os pedidos que recebe, ao ponto de sentir que os outros controlam a sua vida.

Estar a pensar de forma pessimista, imaginando acontecimentos futuros negativos ou entrar por outras divagações pessimistas.

Usar excessivamente as redes sociais, e estar a gastar tempo em interações virtuais, em vez de relações sociais reais.

Ambicionar ser perfeito ou acreditar em teorias ou mensagens irrealistas do género “viver uma vida perfeita, ou desbloquear a abundância” pois vão levar a uma exigência ou expetativa que não existem no mundo real, imperfeito e com constrangimentos.

Ter uma alimentação pouco saudável e fazer pouco exercício físico

E para sermos mais felizes, estas são algumas das atitudes a evitar:

Evitar comparar -se com outras pessoas ou situações, pois cada pessoa tem características únicas e não somos um produto que se compare.

Evitar a ilusão do perfecionismo ou duma vida perfeita, como a descrita por muitos vendedores de ilusões, como a lei da atração ou do positivismo tóxico. Só faz com que sinta pior pois vai-se comparar com metas que ninguém atinge e sentir as suas expetativas frustradas.

Evitar isolar-se dos outros e entrar no ciclo negativo da solidão, em que se torna demasiado crítico dos outros, descurando as amizades.

Evitar a ambição da vida perfeita, ou do corpo perfeito ou emprego perfeito que cria um estado de tensão permanente e auto- crítica que estraga a felicidade possível com os momentos de vida, que são naturalmente imperfeitos. Evitar também a ideia que não pode partilhar as suas vulnerabilidades, que tem de passar a imagem de uma pessoa perfeita: isto causa uma pressão enorme e distanciamento dos outros: gostamos de pessoas imperfeitas!

Evitar as ilusões que a nossa sociedade de consumo transmite: que precisamos de recompensas materiais para sermos felizes (como ter um grande carro ou casa), quando a felicidade é um estado interior, uma atitude e uma ação dirigida a experiências positivas e a propósitos de vida.

Evitar adiar viver os momentos positivos na vida: só temos o momento actual para viver e o resto é passado ou futurologia

Evitar ruminar, criticar-se demasiado ou ficar demasiado tempo desocupado a pensar de forma pessimista.

Evitar o querer demasiado na vida: pode trabalhar tanto devido a uma ambição excessiva ao ponto de não ter tempo para experiências positivas e ser infeliz.

Evitar fast- food e não exercitar-se

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *